Temer está internado em São Paulo, e reforma da Previdência é adiada para fevereiro de 2018

Voz de Feira

O anúncio do adiamento da reforma da Previdência para fevereiro de 2018 feito pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), irritou aliados do presidente Michel Temer.

“Isso é uma sacanagem com Michel”, disse o vice-líder do governo Beto Mansur (PRB-SP) ao deputado Pauderney Avelino (DEM-AM), aliado do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Maia refutou a informação de houve uma combinação para que Jucá anunciasse o adiamento. “Não combinei nada”, disse Maia à reportagem.

Segundo um aliado do presidente da Câmara, o acertado é que ele, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e Temer falariam sobre o tema em uma entrevista coletiva nesta sexta-feira (14).

Temer está internado em São Paulo e passa por procedimentos médicos.

A ideia inicial do governo era votar a reforma na próxima semana. Sem os 308 votos necessários pra aprová-la, estava cada vez mais certo que a votação ficaria para o ano que vem.

Eunício, inclusive, anunciou que votaria nesta noite o Orçamento de 2018, tradicionalmente o último ato do ano no Legislativo.

No início da tarde, Maia havia dito que anunciaria entre esta quinta e sexta-feira quando a votação ocorreria. Acabou furado por Jucá.

OUTRAS NOTÍCIAS