Seriam tendenciosas, as declarações da infectologista Melissa Falcão, para inocentar o município, e imputar ao Estado, as centenas de óbitos por Covid 19?

Por Cloves Pedreira

Em uma coletiva à imprensa de Feira de Santana, a infectologista da Prefeitura Melissa Falcão argumentou : ” “Pensávamos contar com os 40 leitos de UTI do Hospital Geral Clériston Andrade 2, mas isso não aconteceu ainda – inauguração adiada novamente, seria importante contarmos, neste momento, com esses novos leitos”

Estas declarações da infectologista, revela explicitamente, uma tendência ou propósito de eximir o município da culpabilidade das centenas de mortes por Covid 19, e jogar a responsabilidade ao Estado, pois a inauguração do Cleriston II foi adiada por duas oportunidade, e percebe-se ainda, que há indícios de intenção estrategicamente elaborada para desviar a atenção do povo feirense, quanto ao descaso e irresponsabilidade do município, que mesmo recebendo uma fortuna do Governo Federal, não está investindo adequadamente estes recursos, motivo principal para estarmos acompanhando o colapso na saúde em nosso município.

Pergunta a Dra. Melissa Falcão: Como foi investido os recursos enviados pelo Governo Federal e emendas encaminhadas por deputados federais para o combate ao novo coronavírus? Porque, o prefeito Colbert Martins contratou uma empresa para gerir o hospital de campanha, que havia acionada a prefeitura no TCM? Qual o destino de mais de cem milhões desviados por uma quadrilha, que se aplicados devidamente, possivelmente salvaria centenas de munícipes? A senhora tem certeza de que os 40 leitos de UTI do Cleriston II, seriam suficientes para salvar tantas vidas? Porque o grupo que governa Feira, a mais de 20 anos não construiu um hospital municipal do porte da Princesa do Sertão?

OUTRAS NOTÍCIAS