Quem quer o apoio de um “pastor” evangélico para campanha política?

Por Cloves Pedreira

É certo que não vou generalizar, é certo que existem pastores que cumprem com a sua palavra, mas, a grande maioria dos “ministros” de Deus, são infiéis aos parlamentares que coligam com eles.

Muitos destes “pastores” são contemplados com apoios finaceiros para investir nas congregações religiosas mas, acaba no próprio bolso.

O pior é que traem à todos, pois sempre acabam apoiando mais de dois, três…

O exemplo mais recente é do pastor Roque Hudson, que estava no grupo político do Deputado Federal Fernando Torres e hoje foi cooptado pelo presidente da Câmara de Vereadores Ronny.

Interessante é como estes pastores que apenas olham para o próprio rabo, e que não contribue em nada com o social conseguem ser tão valorizados, porque covenhamos; qual a fonte dos votos de Roque Hudson? Talvaz o pastor não tenha nem mesmo o dele.

Fernando Torres tem uma história de traições, inclusive de pastores. Nesta última eleição, Fernando tomou um Roque Dentão do apóstolo Ronaldo.

Tarcízio Pimenta foi uma vítima que sofreu bastante nas unhas destes pastores, verdadeiras aves de rapina.

Todas as segundas feiras um número imenso de pastores iam a prefeitura botar a mão na cabeça de Tarcízio, o ex-prefeito chorava que era uma beleza. Pois bem, todos o trairam.

O motivo maior do teor desta matéria não é canonizar os polítcos e demonizar os pastores, é mostrar que no caso de Tarcízio foi bem merecido, pois fechou as portas da prefeitura para o povo e abriu para os chacais.DSC_0140-Copy-150x150

 

OUTRAS NOTÍCIAS