Qual a origem dos espíritos de morte, da injustiça e crueldade infiltrados nas igrejas? seria a ideologia política de Bolsonaro?

Por Por Cloves Pedreira

Antigamente não era assim, o Espírito que habitava sobre as igrejas, evangélicas ou católicas, era a do Espírito Santo, hoje percebemos que não é mais desta forma.

O amor cedeu lugar ao ódio, a vida à morte, a compaixão à crueldade? Estaríamos vivendo o final dos tempos?

Um caso recente de crueldade extrema foi a morte da criança Henry, assassinado por um vereador, evangélico; “Está a toda, nas redes, o vídeo do Dr. Jairinho, em que reza o “Pai Nosso”: ele era do clube que mistura religião com política. “O teu tesouro está onde está o coração, está na Bíblia. Se você não coloca semente boa, você não frutifica”, disse em live para pedir votos ao ex-prefeito Marcelo Crivella no ano passado (ele era líder do governo Crivella na Câmara dos Vereadores)” IG 09/04/2021

Ainda na publicação do IG, lemo; “O pastor Everaldo, da Assembleia de Deus, presidente do PSC, foi preso no ano passado, na mesma operação que afastou do cargo o governador Wilson Witzel — que, em fevereiro, foi visto pregando a “salvação” de pessoas por meio da religião durante um culto na Assembleia de Deus dos Últimos Dias — por ser o chefe do esquema de corrupção dos respiradores na pandemia, segundo delação do ex-secretário de Saúde Edmar Santos

Continuando: “E, como já dissemos aqui, tem o caso da deputada Flordelis (PSD), fundadora da sua própria igreja, o Ministério Flordelis, apontada pela Polícia Civil e o Ministério Público Estadual do Rio como mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson, com 30 tiros, em junho do ano passado.”.

Confiram ainda; “Religiosos têm entrado para a política com um discurso moralista contra os maus políticos e maus costumes em geral — no caso de Jairinho, ele se apresentava “defensor da família, contra a ideologia de gênero e era a favor da igreja aberta na pandemia”, ou seja, o combo completo do “cidadão de bem” e da “Família Tradicional Brasileira”

E finalmente: “Fato é que a bancada evangélica no Congresso Nacional está cada vez mais numerosa — em 1994, eram 21 deputados federais evangélicos; hoje, já são 105 deputados e 15 senadores, ou 20% da casa. A religião na política vai contra os princípios do Estado laico, conforme a Constituição de todas as democracias do mundo, incluindo a brasileira. Não existe bancada religiosa no Congresso de democracia nenhuma no mundo inteiro, exceto nas falsas, como no Irã dos aiatolás”

E mais recente, e de estarrecer, certamente os céus tremeram foi as declarações dopastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas, inclusive será processado por homofobia devido a uma publicação no Instagram no qual o religioso afirmou rezar pela morte de Paulo Gustavo, ator internado há mais de um mês para tratar de complicações da covid-19.

Todos estes falsos profetas, que Jesus Cristo chamou-os de filhos do diabo, são seguidores do presidente Bolsonaro.

É certo que ainda existem os sinceros, aqueles que servem ao Altíssimo Deus, mas notamos que a partir de Bolsonaro a criminalidade cresceu indiscriminadamente, e a Igreja que era Símbolo de VIDA, agora é Símbolo de MORTE.

OUTRAS NOTÍCIAS