logo_voz_de_feiraa

Pres. da Asso dos Fun. da Câmara, nega denuncia da Ver. Eremita que há salários de 50 mil reais na casa legislativa feirense. Confira

Por Cloves Pedreira

Edson de Oliveira Matos, nega as declarações da Presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana que existam funcionários recebendo R$ 50,000.00 (CINQUENTA MIL REAIS).

Segundo a vereadora, este disparate foi detectado por uma auditoria nas contas da Casa da Cidadania, sem contudo revelar por quem é formada esta equipe, se passou por algum tipo de votação dos edis para permissão desta intervenção, se houve licitação para contratação deste grupo de auditores, já que o trabalho não é gratuito, e precisa ser feito por profissionais experientes pois esta atividade dese ser executada de forma cuidadosa e sistemática.

No primeiro ano da gestão Fernando Torres, houve uma econômia de mais de dois milhões e quinhantos mil reais devolvidos ao Executivo feirense para investimento em segurança pública, no segundo ano da gestão muitos foram os avançõs em valorização dos servidores efetivos ou não, com reajustes salaraiais, vale alimentação, abono salarial, e reforma do pátio da Casa.

Para o Conectados News, o Presidente da Associação dos Funcionários da Câmara Municipal de Feira de Santana José Joaquim de Oliveira Neto, falou, “Quem me dera receber R$ 50 mil por mês, seria uma benção na vida de qualquer pessoa, desconheço esse fato, a população pode entrar no Portal da Transparência e verificar todos os dados, inclusive meu salário, quem quiser vasculhar e verificar quanto cada servidor recebe por mês, desconheço que as pessoas estão recebendo esse montante todo mês, porém, o servidor pode ganhar um pouco mais no final do ano com o décimo terceiro, quinquênio, férias, fará com que ele receba a mais eventualmente, não quis se repita durante todo o ano, porque isso seria um atrativo muito grande, todo todos sairiam da Petrobras, do Banco Central, da Receita Federal, para fazer o concurso da Câmara Municipal. Ao contrário do que foi dito, o salário é tão baixo, que as pessoas inscritas no concurso estão desistindo e indo para outras instituições públicas, justamente porque nossos salários são baixos em relação ao que o mercado do serviço público está oferecendo. É necessário separar o joio do trigo, as vezes o servidor tem coisas acumuladas a receber e pode receber tudo de uma vez só, tanto no Estado, quanto na Prefeitura, na Câmara, pode acontecer esse tipo de evento”, disse.

Aguardemos o final da auditoria e que a presidente publique as provas.

Acompenhe o áudio da entrevista com o Edson de Oliveira realizada no programa Acorda Cidade.

OUTRAS NOTÍCIAS