Partidos menores estão calculando mal a perspectiva de votos dos seus pré candidatos a vereador (a) 2020, em Feira de Santana.

Por Cloves Pedreira

Tenho observado, que os partidos menores estão calculando mal a perspectiva de votos dos seus pré candidatos a vereador no processo eleitoral de 2020 em Feira de Santana.

A primeira leitura ambígua, feita pelos dirigentes dos diversos partidos menores, é quanto ao número de eleitos em cada partido. Confira

O grupo de Pedro Paulo e Beca, já com o grupo praticamente fechado, avaliam que deve sair dois vereadores eleitos do seu grupo, até o momento sem partido.

Da mesma forma, Gildásio Nena presidente do PTC, acredita que a legenda partidária também fará dois.

Ai surgem outros como o PROS de Carlinho Mocotó com dois, DC Democracia Cristã, dois, PPS de Debisson 2, Sandro Ricardo dois, PSD de Fernando Torres 3, PDT de Pablo Roberto Três, o grupo de Humberto Cedraz, que embora seja um expert na política, à duas eleições que não consegue eleger ninguém fala em eleição de três eleitos.

Na soma desta conjuntura, totaliza-se 21 eleitos, o que seria uma total renovação da Câmara, isto é completamente fora de qualquer lógica.

Como ficariam os vereadores candidatos a reeleição, estes que possuem as melhores estruturas?!!

O que determinará o número de eleitos pelos partidos menores, será as melhores formatações, aquelas que priorizem o todo, o grupo, e não a projetos pessoais.

OUTRAS NOTÍCIAS