Municipalização do Colégio Edelvirade Oliveira na Queimadinha e outros, causará transtornos irreparáveis aos estudantes. Disse o Ver. Emerson Minho DC

Por Cloves Pedreira

Existe uma lei, que impõe a municipalização de escolas estaduais que continuam a oferecer Ensino Fundamental em Feira de Santana e o Colégio Edelvira de Oliveira na Queimadinha está inserido neste contexto. Acontece que no Edelvira também é aplicado o ensino médio pela manhã e à noite, acontecendo a municipalização, os alunos residentes no bairro deverá ser relocados para o Gastão Guimarães ou Luiz Eduardo.

Como o Bairro Queimadinha é uma rota de perigo, é certo que os jovens não se deslocarão para outras unidades de ensino com longos trajetos, justamente para não serem hostilizados pois é certo que se transformarão em alvos fáceis de facções criminosas.

Outro fator desfavorável aos estudantes na municipalização do Edelvira, e outras escolas, é que os que estudam no horário noturno, também trabalham, estes certamente chegam em seus lares as 18:30, banham-se e dirigem-se às unidades de ensino que são próximas às suas casas. Com uma mudança tão substancial, haverá é lógico, uma grande evasão escolar.

Portanto, a municipalização de colégios em bairros periféricos, aqueles mais distante dos bairros onde estão instalados, será necessário ser pensado, analisado, observando principalmente quanto as dificuldades que surgirão para estes estudantes.

Estes que querem as mudanças, não dialogam, não debatem, não ouvem as comunidades que são tratados como coisa qualquer.

“Idéias por si só não são projetos”, como bem pontuou o edil Emerson Minho DC, o edil pontuou também; “estas mudanças só fará crescer a criminalidade, a evasão escolar, e estes jovens nas ruas certamente será alvo fixo para coptação por parte do tráfico”.

O município quer apenas lucrar, o Executivo que não investe bem na educação, já quer encontrar tudo pronto, é só entrar no espaço físico, matricular, receber mais dinheiro do fundeb, além do mais, com a municipalização, os alunos perderão programas sociais ausente no município e que são importantes para os estudantes dos bairros mais desassistidos pelo poder público” disse Emerson Minho

“Não definimos ainda o número de escolas a serem municipalizadas, mas já sabemos que aproximadamente 2.500 estudantes passarão a integrar a nossa Rede”, destaca Anaci Paim

A muncipalização destes colégios será um grande retrocesso!

OUTRAS NOTÍCIAS