Homem que se passava por médico amputa perna de vítima de acidente; ele já fingiu até ser pastor e enganou namorada

Voz de Feira

Gerson Lavisio, de 32 anos, está sendo investigado pela Polícia Civil de São Paulo após se passar por médico, assumir o posto de médico-chefe de socorristas e amputar a perna de um homem, vítima de um acidente de carro, no último dia 13, na cidade de Lavrinhas.

De acordo com a Polícia, Gerson usava um diploma falso e não tinha registro no Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp). Ele havia sido contratado pela Enseg, empresa que presta serviços médicos para a CCR SP-Rio, concessionária que administra a rodovia Presidente Dutra e afirmava ter se formado em 2021 em uma universidade em São Paulo.

A empresa alega que momento da contratação, Gerson apresentou a cópia do diploma e um protocolo de abertura de pedido de CRM junto ao Cremesp, feito em 9 de fevereiro deste ano. Em entrevista ao G1, o Conselho afirmou que o pedido tinha um diploma falso e que irão denunciar Gerson ao Ministério Público por falsidade ideológica e exercício ilegal da profissão.

A equipe técnica do resgate estranhou a decisão de amputar a perna da vítima de acidente e também a falta de técnica para o procedimento e acionou Polícia Rodoviária Federal (PRF), que acessou o site do CMR e descobriu que o número do documento apresentado por Gerson pertencia a um médico já falecido e que seu diploma era falsificado. Em depoimento à Polícia Civil, ele confirmou não ter registro de médico e nem sequer faculdade de medicina. bocão

OUTRAS NOTÍCIAS