Foco de Covid-19: Comissão de Saúde pede intervenção urgente do prefeito Colbert Filho no Transbordo Central

Por Cloves Pedreira

A população feirense está aterrorizada com os resultados obtidos pela Comissão de Saúde , desportos e outros afins, que tem na Presidência o vereador Emerson Minho, vice presidente Luiz da Feira e membro Paulão do Caldeirão. Realmente a situação é preocupante. Confiram em Carta aberta, quais as medidas que a Comissão propõe ao Executivo:

“A Comissão de Saúde da Câmara de Feira de Santana está solicitando através de carta aberta e em caráter de urgência, ao prefeito Colbert Martins Filho, a solução de graves problemas no Transbordo Central relativos ao transporte coletivo, principalmente a superlotação nos ônibus que saem do equipamento em direção aos bairros. Os integrantes do õrgão legislativo visitaram a estação na última sexta (12). Para a comissão, é necessário uma intervenção da administração municipal, pois as medidas preventivas de combate à covid-19 não estão sendo adotadas corretamente pela gestão do terminal, diante da “visível aglomeração (de passageiros)”, causando sério risco à proliferação do coronavírus.

O presidente da comissão, vereador Emerson Minho (Democracia Cristã), o vice Luiz da Feira (PROS) e o membro Paulão do Caldeirão (PSC) detectaram, durante a visita, que o transbordo encontra-se em “situação gravíssima e muito preocupante”, pois os ônibus estão superlotados, as filas são imensas e as pessoas ficam muito próximas umas das outras. Detectou-se ainda a falta de equipamentos para aferição de temperatura, bem como a disponibilização de álcool em gel 70% antisséptico e o uso de fitas adesivas no solo e nas cadeiras ali fixadas, com o intuito de restringir a aproximação das pessoas, ações estas que são importantíssimas para o efetivo distanciamento entre os usuários e, consequentemente, o combate à doença.

Na carta aberta, a comissão também pontua que a frota de ônibus é insuficiente para a quantidade de usuários, especialmente nos horários de pico. Para os vereadores, a falta de fiscais da prefeitura no local incide em um fato grave, pois “foi verificado que possivelmente os motoristas são orientados a partirem para o destino quando os veículos estão superlotados, ocasionando, assim,  risco iminente de contaminação em massa devido ao evidente descaso”.

OUTRAS NOTÍCIAS