Dos vereadores eleitos, quem melhor tem se destacado na atual legislatura?

Por Cloves Pedreira

A cada nova legislatura nasce uma expectativa quanto a qualidade dos edis eleitos, e nesta não seria diferente.

A legislatura passada foi por diversas vezes tida como a pior de até então, muitos comentários seguiram nesta vertente.

Mas o que já pode entrever na casa legislativa em 2017, em relação aos novos vereadores?

Percebe-se que a evolução de alguns parlamentares está engessada, não avançam, principalmente por não serem politizados, e esta leitura é feita fundamentada nas visíveis investidas assistencialistas dos novos vereadores, como estratégia em busca da reeleição. Perigoso!

Acreditam eles, que desta forma fidelizará uma parceria com seus eleitores e  futuramente sensibilizarão outros. Utopia.

Até o momento, os vereadores que não evoluíram, sinalizando que seus mandatos podem manterem-se na bancada do silêncio são; Ron do Lanche e Fabiano da Van, ambos, extremamente despreparados para o parlamento. Estes precisam serem bem trabalhados.

Luiz da Feira, e Gilmar Amorim sentem algumas dificuldades,  mas se mostram esforçados, e mesmo lentamente, ambos, vem evoluindo, principalmente o Gilmar.

Por possuir formação acadêmica, ter ocupado cargos na administração pública, e sendo evangélico, acostumado a pregações, o vereador Cadimiel tem apresentado falas articuladas, bem arrumadas, embora tudo muito artificial.

Em um destes discursos, Cadimiel fez um relato a partir de sua mais tenra infância, enfatizando as brincadeiras de criança, como; esconde esconde, pecula, guerrou etc.

Zé Filé, acostumou-se rapidamente com a tribuna da casa, principalmente pelo fato de ser oposição, isto facilita o seu trabalho.

Dentro dos aspectos necessários para uma leitura que venha justificar o comentário, destaco o vereador João Bililiu como aquele que mais cresceu na sua missão de representar o povo feirense.

Bililiu consegue se manter exatamente como antes do mandato, um homem simples do povo, mantendo os mesmos costumes em relação aos seus contatos, e principalmente, está sendo assessorado de forma politizada, assim vem investindo em temas atuais e da necessidade e carências, principalmente das suas comunidades, sem se esconder do povo que lhe elegeu.

Vivemos um momento de mudanças, e a atual conjuntura, aponta para um novo ciclo, esta realidade cobrará dos políticos com mandatos, um comportamento de enxergar política na visão macro.

 

 

 

 

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS