Dep Robson Almeida PT, critica a politização da morte do Policial Wesley, abatido pelo Estado representado por policias em serviço, mas nunca levantou a voz favorável a PM! Análise Política

Por Cloves Pedreira

“De forma covarde e desrespeitosa, o gabinete do ódio tenta politizar a trágica morte do policial militar em Salvador. A categoria esperava de seus supostos representantes na Assembleia atos em solidariedade e apoio, mas o que se viu até aqui foram ações coordenadas nas redes sociais e discurso de ódio contra o Governo do Estado. Usam a morte para se promover e fazer politicagem”.disse o deputado Robson

Sempre a favor do Estado, e pelo fortalecimento partidário utilizando como tônica nos discursos argumentos completamente fora das regras que exaltam a vida e o respeito pela pessoa humana, aqui enfatizada nas minhas palavras, quanto a falta do cumprimento das promessas de campanhas e a obrigatoriedade de atender bem os colaboradores que servem este Estado , a classe política na sua grande maioria, não tem verdadeiramente uma identidade com a humanidade, a compaixão, sobretudo empatia com os mais miseráveis, e principalmente a máquina humana que funciona todo sistema, comandado por uma elite burguesa travestida de esquerda.

O deputado Robson Almeida não tem representatividade na classe dos policiais, por omissão, já nunca lutou por uma PM mais justa e humanizada em todos os aspectos, pois aqui se trata de homens e mulheres.

É notório que o governador Rui Costa não acena positivamente para policiais, e nem para os demais funcionários públicos estaduais, Vejamos:

Os policiais vivem com a dificuldade de ascensão na corporação, estes abnegados levam em média 15 anos para ter a primeira promoção, fim do Financiamento Habitacional através da (CONDER).

Policiais em alguns casos são obrigados a residirem em área de riscos por não terem condições para financiamento de um imóveis dignos para abrigarem suas famílias, principalmente na capital do estado, estão sem reajuste Salarial desde 2015.

Sem isenção dos impostos para compra de Arma de fogo.

PLANSERV em total decadência ( em várias situações o policial precisa representar na Justiça para fazer procedimentos, em alguns casos motivados por frutos, acidentes no trabalho).

Jornadas excessivas de trabalho.

Políciais reclamam que em várias situações são assediados, mesmo quando alegam estarem doentes, sendo rotulados como “macetosos” e as vezes transferidos de Unidade.

Após envolverem-se em confrontos armados com resultado de óbitos, não são submetidos a um profissional de saúde. O deputado Robson Almeida já levantou a voz contra estes absurdos inconcebíveis?

Por outro lado, outro grupo de velhos vampiros, sedentos de sangue inocente, aproveitam de forma vil, a morte Wesley em busca de dividendos políticos.

Em entrevista, com a coordenadora política, Carol Silveira ela discorre de maneira bem coerente sobre o ocorrido da seguinte forma:

“Acho que toda a reivindicação é válida. A PM merece atenção e respeito por parte do Estado. Mas alguns oportunistas, verdadeiras aves de rapina, estão misturando demais as informações, pegando uma situação que merece respeito e levando para cunho político. Quem é a força do Estado no país? Quem é utilizado para manter a ordem? É a PM mesmo, isso é uma questão estrutural e não política. Aí teríamos que viver em outro sistema. Estão querendo associar a execução do PM com as restrições do governo ao comércio por conta da pandemia. Oportunismo puro, Isso sim! Concluiu Carol Silveira

OUTRAS NOTÍCIAS