CORONA VÍRUS, A POLITICAGEM E A REALIDADE

Por Karla Ferreira

O coronavirus trouxe para o Brasil um dos momentos mais desafiadores de sua história. O problema é que muitos governadores e prefeitos se aproveitam desse momento de crise para avançar com medidas populistas que visam alcançar seus interesses pessoais. Certamente, uma atitude imprudente, visto que que o momento demanda união e responsabilidade.

Primeiramente, é preciso questionar a necessidade de se tomarem medidas substancialmente restritivas para o combate ao vírus. Os “gestores públicos” justificam sua decisões com base em aconselhamento de sua equipe de saúde, mas não apresentam sequer um estudo científico que comprove a eficácia destas medidas.

As medidas de combate ao vírus devem colocar na balança a questão social do Brasil. Somos um país com altas taxas de pobreza e desigualdade. Para grande parte do povo a realidade é trabalhar durante o dia e trazer o pão para casa a noite. O desemprego e o aumento da pobreza já são uma realidade. As medidas á atividade econômica irão causar muito mais mortes e problemas sociais do que o Covid-19.

Milhões de brasileiros migrarão da rede privada para a rede pública de saúde e ensino. Porém, o estado falido não terá condições de arcar com o aumento destas despesas. Veremos o ressurgimento da desnutrição. Muitos já enfrentam problemas psicológicos. A criminalidade já sobe exponencialmente. Já estamos na beira do colapso socioeconômico. A política brasileira é mais danosa que o Covid-19.
Nossos políticos, que dizem defender a vida das pessoas, deixaram de lado medidas para melhorar o sistema de saúde.

Nossas autoridades nunca estiveram interessados na vida dos cidadãos. A politicagem está dominando as decisões de combate ao vírus.
Custará caro para a sociedade as atitudes irresponsáveis de nossas lideranças.

OUTRAS NOTÍCIAS