Como ficam as composições para a disputa por reeleição de vereadores em Feira de Santana?

Sem dúvida alguma será uma verdadeira batalha pelo voto para o Legislativo de Feira, principalmente para aqueles que lutam por mais um mandato.

Com o final das coligações na proporcional, a reeleição não será fácil, já que há uma rejeição dos partidos menores em aceitar vereadores de mandatos na disputa.

Aparentemente pode-se notar que a arrumação do PDT, partido de Pablo Roberto não conseguirá formar uma chapa completa, assim, comenta-se, que pode haver um chapão, ou seja, todos os atuais vereadores saírem no mesmo partido, assim acontecendo, será uma verdadeira batalha pelo voto que já não está tao fácil de se conquistar.

Nas eleições de 2018, houve uma queda no número de eleitores, que passou de 408 mil, para 380 mil eleitores, motivado pelo recadastramento biométrico, suponhamos que em 2020 estes números cresçam para 390 mil eleitores, abatendo 25.0% de votos nulos e em branco, percentual que geralmente acontece nas eleições, ficaríamos com 292 mil de votos válidos.

No chapão, as apostas de eleição garantida seria para; Zé Carneiro, Eremita Mota, Gerusa Sampaio, Luiz da Feira, Cíntia Machado, Zé Curuca, Pablo Roberto, Gilmar Amorim.

Dos partidos novos já arrumados entendemos que no de Pedro Paulo tem três nomes fortes com grandes possibilidades de vitória, Leon Vanderlei, Paulão do Caldeirão e China.

No grupo de Sandro Ricardo, o com maior potencial para vencer o pleito é o próprio Sandro, que certamente tem apoio do sistema, já que o mesmo foi secretário de habitação e vem com muita bala na agulha sabendo que esta será sua última oportunidade para conseguir aquilo que ele muito almeja.

OUTRAS NOTÍCIAS