Com Guto suspenso, auxiliar comandará o Bahia contra o Ceará

Voz de Feira

Expulso no empate em 1 a 1 com o Oeste, Guto Ferreira não estará á beira do campo contra o Ceará, no sábado, 29, às 16h, na Fonte Nova. Mas, no que depender do entrosamento dele com sua comissão técnica, a ausência do comandante tricolor num momento decisivo não será tão sentida.

O escolhido para substituí-lo foi Alexandre Faganello, um dos dois auxiliares que trouxe da Chapecoense. Ele e o outro assistente, André Luiz, trabalham com Guto desde 2011, e já passaram por essa situação em outras oportunidades.

De uma em especial, o auxiliar guarda boas lembranças, e serve como bom presságio para o Tricolor. Em 2014, quando trabalhavam na Ponte Preta, Guto teve que se ausentar na reta final da Série B após ser diagnosticado com arritmia cardíaca. O interino assumiu diante de um jogo difícil, contra o Vasco, fora de casa, pela 32ª rodada, e voltou de São Januário com um empate.

Alexandre voltou ao comando da Macaca duas rodadas depois, quando Guto pegou um gancho do STJD. Acabou vencendo o Bragantino fora de casa por 2 a 0 e garantiu assim o retorno à Série A. “Foi muito bom. O gancho caiu justamente num jogo em que a gente garantiria o acesso em caso de vitória. Caiu no meu colo e fechamos bem a competição”, lembra o auxiliar.

Os dois se conheceram há 20 anos, quando Alexandre era jogador da base do XV de Piracicaba e o treinador era Guto. Depois que encerrou a carreira, em 2011, o hoje auxiliar treinou a base do Mogi Mirim, na mesma época em que Guto treinava o time titular. Desde então trabalharam juntos em clubes como Ponte Preta, Figueirense e Portuguesa.

“Acho que depois desse tempo a gente só de olhar já sabe o que o outro quer. Mas lógico que durante a semana vamos deixar tudo alinhado para que durante o jogo eu tome as ações combinadas”, disse. “Mas se tiver que tomar uma decisão por mim não terá problema, porque já aconteceu e me sinto preparado”.

Antes do duelo com o Vozão, o técnico Evaristo de Macedo será homenageado pelo clube. O comandante do título brasileiro do Tricolor de 1988 receberá uma réplica do troféu daquele título. A homenagem também terá a presença de ex-jogadores do clube.

Ingressos

Na semana passada, o Bahia anunciou que os ingressos para o duelo com o Ceará seriam vendidos antecipadamente, a partir de segunda-feira, 24, devido à grande procura. Os bilhetes, porém, só devem começar a ser vendidos nesta quarta, 26. O atraso teria acontecido após um desacordo entre clube e arena.

Segundo Pedro Henriques, vice-presidente tricolor, a arena cogitou mudar o setor dos ingressos promocionais do lado sul do estádio, vizinho à ferradura, onde vinha sendo localizado nos últimos jogos, para o lado norte, atrás do gol da Ladeira da Fonte das Pedras. O Tricolor discordou da mudança porque, segundo o clube, a torcida prefere o setor atual, chamado ‘Super Sul’.

Consultada pela reportagem, a Fonte Nova explicou que decidiu realizar a mudança de local para distanciar as duas torcidas, setor Super Sul fica logo abaixo do reservado para a torcida visitante. Segundo a arena, a medida seguiu recomendação da Polícia Militar.

Ainda de acordo com a Fonte Nova, os ingressos começarão a ser vendidos nesta quarta porque a arena decidiu obedecer o prazo que o Ceará tem para solicitar a sua carga de 10% dos ingressos, que encerra em até três dias úteis da realização da partida. Os bilhetes a preços promocionais serão mantidos para o setor Super Sul.

Treino

Nesta terça, 25, o técnico esboçou o time para pegar o Ceará com Renê Júnior no lugar de Luiz Antônio, suspenso. Ainda sem Moisés, que segue se recuperando de uma lesão, Tinga foi mantido na ala esquerda.

OUTRAS NOTÍCIAS