Porque os médicos paralisaram o atendimento na Upa da Queimadinha? Conheça os fatos

Por Cloves Pedreira

Nesta sexta feira 13, o vereador Emerson Minho presidente da Comissão de Saúde esteve na UPA do Bairro Queimadinha, em busca de informações quanto a paralisação de médicos daquela unidade gerida pela Insaude – Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão em Saúde, inclusive, imaginando que a culpa dos atrasos salarias era de responsabilidade da Empresa..

Na UPA fomos recebidos pela Diretora Geral, Sra. Ivete Silveira Borges, e constatamos que a Empresa trabalha gerenciando em uma perspectiva extremamente profissional e de excelência, comprovando através de documentos disponibilizados ao Presidente da Comissão de Saúde Vereador Emerson Minho DC, que confirmam ; as prestações de contas são encaminhadas rigorosamente em dias à secretaria de saúde, a partir do início da operacionalidade da atual gestão, que nunca havia atrasado os salários, pagos até o quinto dia útil, mas com a retensão do valor das provisões, fato gerador do atraso nos salários dos médicos culminando na paralisação da classe. confirmar assertivas no portal da transparencia no site www.insaude.org.br

Após o a conversa com a Sra Ivete, o Vereador Emerson seguiu até a Secretaria de Saúde para ouvir a versão do secretário Marcelo Brito diante do exposto, ou seja às, informações oriundas da gestão da UPA Queimadinha.

Quando perguntado se as prestações de contas apresentadas pela In Saúde são enviadas regularmente dentro dos prazos, Marcelo Brito,respondeu sem clareza, de forma genérica. Consultando o portal da transparência no site www.insaude.org.br , percebe- que a Insaude sempre prestou contas com pontualidade.

Pode-se entender que Marcelo Brito passa para a população informações fake news, na tentativa de penalizar a direção da UPA neste caso específico, com falsas justificativas, consequentemente, torno a afirmar que a retensão do valor das provisões retidas das provisões, motivou pela primeira vez atraso dos salários dos médicos, gerando a paralisação atingindo em cheio a população.

A Câmara Municipal, poderia convocá-lo inclusive para uma prestação de contas.

Inclusive o secretário Marcelo Brito, precisa está atento a lei de isenção para metas de produção não atingidas, a nível Federal, Estadual e Municipal:: LEI Nº 14.189, DE 28 DE JULHO DE 2021: Altera a Lei nº 13.992, de 22 de abril de 2020, para prorrogar a suspensão da obrigatoriedade da manutenção das metas quantitativas e qualitativas contratualizadas pelos prestadores de serviço de saúde de qualquer natureza no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

OUTRAS NOTÍCIAS