Targino Machado comenta sobre ação de investigação judicial eleitoral contra ele.
10646833_571729719616448_7584834258795258068_n

Voz de Feira

O deputado estadual Targino Machado (DEM) afirmou, nesta terça-feira (18), que a ação ajuizada contra ele no Ministério Público Eleitoral (MPE) se refere às denúncias que levaram ao fechamento de suas clínicas em Feira de Santana, em julho deste ano. Ele disse que ainda não fui citado, mas, assim que tomou conhecimento, pediu a seus advogados para tomarem as providências necessárias.

“O Ministério Público entrou com uma ação de investigação judicial eleitoral que foi a respeito das denúncias de julho, quando fecharam as minhas clínicas em Feira de Santana. O escritório de advocacia ainda não pôde pegar a íntegra desse processo porque eles [MP] deram entrada, antes da diplomação, faltando algumas peças (…) As denúncias são as mesmas, não tem nada novo”, destacou Targino.

Sobre o fato dessa situação ter vindo à tona nesta segunda-feira, no dia de sua diplomação, ele falou que prefere não julgar se foi atitude política contra ele. O MPE acusa o parlamentar de oferecer atendimentos médicos clandestinos para a população de Feira de Santana, a fim de ganhar votos para a última eleição.

“É a sexta vez que vou receber o diploma, mas nunca fui na cerimônia porque acho que a festa é para a chapa majoritária que ganhou a eleição e eu nunca fui porque as chapas em que votei nunca ganharam a eleição. Hoje já peguei o diploma no Tribunal Regional Eleitoral. O resto é seguir vendo no que é que vai dar a ação de investigação judicial eleitoral”, acrescentou.
Questionado sobre o fato de ACM Neto (DEM) também não ter comparecido à cerimônia de diplomação, ele logo fez a defesa: “Eu não sou advogado de prefeito e a minha bússola na política são a independência e a coerência. Mas o prefeito ACM Neto estava em Brasília, assinando um contrato para a Prefeitura de Salvador de mais de R$ 60 milhões. Então, só isso justifica a ausência dele”

Com informações do bocão news

VEJA TAMBÉM