Sérgio Carneiro entra da disputa em 2018 para deputado estadual ou federal?
065
Por Cloves Pedreira
Conversei com o Secretário Sérgio Carneiro hoje, 27 e fiz uma pergunta sobre se ele seria entraria na disputa no próximo pleito, O motivo da pergunta é que em diversos grupos o tema eleições 2018 está sempre em pauta, e o seu nome circula como provável candidato.
Cloves Pedreira: Sérgio você pretende disputar eleições em 2018? Caso afirmativo será para deputado estadual ou federal?
Sérgio Carneiro: O próximo pleito está muito longe. Um ano em política é uma eternidade. Creio que muita coisa ainda vai acontecer até lá. Para mim, por exemplo, é fundamental a aprovação do financiamento público das campanhas.
As duas vezes em que fui deputado federal, apresentei projetos para instituir o financiamento público de campanhas. Me diziam que o povo não aceitaria dar dinheiro para isso e eu rebatia dizendo que seria mais barato.
Infelizmente, o tempo me deu razão. Hoje, me parece que todos concordam que o financiamento público é mais barato.
Precisamos ter calma e paciência. Trabalharmos muito, todos os que militam na vida pública, para ajudarmos o Brasil sair desta crise, a maior de toda a sua história. São 12 milhões de desempregados (apenas das estatísticas oficiais), 5 milhões em subemprego, vivendo de bicos, e 60 milhões de endividados. Não é hora de falarmos da próxima eleição. Os últimos eleitos sequer foram diplomados.
Contudo, se as condições permitirem, se a conjuntura estiver favorável, nunca neguei o meu desejo de voltar a ter um mandato parlamentar. Não tenho vaidades pessoais. Já fui vereador depois de ter sido deputado federal. Sou secretário municipal depois de ter sido secretário estadual. O momento é que definirá se serei ou não, e a que.
Hoje, só posso dizer que tenho vontade e fico muito feliz pelo estímulo e as cobranças para que volte.
Cloves Pedreira: Sérgio, deixe uma mensagem para o povo feirense e aos baianos em geral.
Sérgio Carneiro: Desejo a todos, apesar desta crise brutal, que tenhamos momentos de paz, de alegrias e que consigamos renovar as nossas esperanças em dias melhores, pois não há bem que sempre dure, mas não há mal que nunca se acabe.

VEJA TAMBÉM