Lidice crê em virada de jogo e acha que reforma trabalhista não passa no Senado
001hy
Voz de Feira
A senadora Lidice da Mata (PSB) afirmou que se a reforma trabalhista fosse votada hoje no Senado ela não passaria. “Eu não acredito que o senado aprove, na atual relação de forças hoje não aprovaria”, disse, durante a manifestação no Campo Grande, ato contra as reformas trabalhistas e previdenciária.
De acordo com Lídice, a aprovação das reformas trabalhistas e da previdência significam uma precarização do direito do trabalhador. “A minha expectativa é que no Senado o jogo seja mais duro do que foi na Câmara a respeito da reforma trabalhista, e depois sobre a reforma da previdência. Nós vamos receber a reforma, queremos debater incansavelmente, já que acreditamos que é rasgar a CLT. A CLT foi uma conquista nossa. Como dizer que o Brasil se moderniza se precariza o direito do trabalhador? Essa é a vitória do patronato, dos empresários que só querem encher o bolso”, declarou.
O texto-base da reforma trabalhista foi aprovado na Câmara dos Deputados na última quarta-feira (26). Foram 296 votos a favor do relatório do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) e 177 contra. Houve traições em partidos da base. O PSB do ministro Fernando Bezerra Filho e o Solidariedade, por exemplo, orientaram seus deputados a votar contra a reforma. A matéria segue agora para pareciação no Senado.

Colaborou a repórter Tamirys Machado 

VEJA TAMBÉM