Lei do cão: Sobre Marielle, Pr. Feliciano diz que: “esquerdista demora para morrer porque bala não acha o cérebro”; assista. E o amor ao próximo, onde fica?
010

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (Podemos) está envolvido em uma nova polêmica. O político comentou, na terça-feira (20), no programa Pânico na Rádio, sobre o caso da execução da vereadora Marielle Franco. Sem se importar com o burburinho que poderia causar, ele disse que “um esquerdista demora uma semana para morrer porque a munição fica procurando o cérebro da pessoa”.

No programa, Feliciano disse, ainda, que como pai de família lamentava a morte de Marielle, mas disse que o PSOl, que ela representava, não pode ser considerado um partido por “sonhar com o caos” e pregar “o céu vermelho” na terra. Ele então começou exemplificar com discursos de Marielle que disse ter visto por militantes nas redes sociais, e polemizou ainda mais:

“O cérebro do esquerdista é do tamanho de uma ervilha. Há pouco tempo fiquei sabendo que deram um tiro num esquerdista no Rio de Janeiro e levou uma semana pra morrer porque a bala não achava o cérebro”, disse.

Sobre a morte de Marielle ter tido repercusão internacional, Feliciano acredita que é exagero. “Como ser humano, brasileiro, acho lamentável o caso. Mas ela é só mais um número, é uma estatística infeliz. Dei as minhas condolências à família, mas disse que não se pode fazer disso uma bandeira política”, afirmou.

Assista aqui:

VEJA TAMBÉM