Gilmar Mendes defende que relator da Lava Jato seja indicado por Temer
261
Voz de Feira
Após a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavasck a relatoria da Operação Lava Jato pode ficar com um novo ministro, que pela lei deve ser indicado pelo presidente da República ou com um dos ministros que já atuam na suprema corte.
Segundo o colunista do O Globo, Lauro Jardim, o ministro Gilmar Mendes se posicionou sobre o assunto e defendeu que a relatoria da Lava Jato deve ficar com o novo ministro indicado por Temer. Para Gilmar, a distribuição para outro ministro da corte deve se restringir a processos de urgência, o que não é o caso da Lava-Jato.
Em 2009, quando morreu Carlos Alberto Menezes Direito e Gilmar Mendes era o presidente do STF, ele assim o fez, mas apenas com habeas corpus, prisão preventiva para extradição, recursos com repercussão geral, extradições com o extraditando preso e outros processos com presos ou sob risco de prescrição.

VEJA TAMBÉM