Em discurso na Câmara, vereador Luiz da Feira reafirma sua inocência e põe à disposição sigilo telefônico, bancário, fiscal. Veja sua fala na íntegra!

Por Voz de Feira

Sr. Presidente, Vossa Excelência, Vereador José Carneiro, nobres Vereadores presentes aqui na Câmara nesta manhã de segunda feira, todos que nos acompanham no plenário desta casa legislativa. Há poucos dias estive aqui nesta tribuna para falar a respeito de uma denúncia de vendas de boxes no Shopping Popular de Feira de Santana pelos seus construtores, inclusive, com prova desta venda sendo distribuída abertamente aos cidadãos feirenses. Constando também quantidade de boxes superior ao estabelecido inicialmente, ou seja, 2.200 boxes, quando foi repassando a quantidade de 1800 boxes para os camelôs.

Ora, Vossas Excelências, após essa denúncia o presidente do Consórcio ganhador da concorrência para construção do Shopping, veio perante um veículo de comunicação tentar de forma vergonhosa calar minha boca, mas, pior que isso, me acusar de solicitar uma quantidade absurda de boxes para que eu pudesse comercializar, junto com meu assessor, aos camelôs. Mas, as ocultações dessa concorrência vão além dos comentários desse Senhor, ou seja, curiosamente o edital desta licitação é o único que não está disponível no portal da transparência do Município. Portanto, logo de cara já dá para perceber algo errado, e, a Prefeitura mesmo diante de inúmeros pedidos para apresentação dessa documentação, se esquiva em apresentá-la. Todos nós sabemos desde criança, e, assim minha mãe me ensinou que: “quem cala consente”.

E, eu, até agora não consigo entender esta agressão toda. Mas, pensando bem, acredito que seja para mudar o foco do que realmente importa, a transparência de todo o processo, já que a melhor defesa é o ataque. Mas, eu já sabia que ia acontecer isso, vez que quando decidir lutar pelo mais fraco, diante de interesses maiores tinha a certeza que os responsáveis iriam criar mentiras ao meu respeito para tentarem me instabilizar. Vossas Excelências precisam está atentos ao que está acontecendo. Isso porque, inicialmente, no mesmo veículo de comunicação que utilizou para me denunciar, o presidente do consórcio informou em 7 de dezembro de 2017 que, palavras dele: ” serão 1800 (mil e oitocentos box) destinados ao empreendedor cadastrados de Feira de  Santana e mais 400 (quatrocentas) lojas são destinadas a casas lotéricas, bancos praças de alimentação, ou seja tudo aquilo que complementa, o que o camelô não tem pra vender…”. Já no programa de Carlos Geilson, o presidente do consórcio deixou claro, que, palavras dele: “o projeto seria, mil e oitocentas lojas para os cadastrados, trinta lojas âncoras e mais trezentos e sessenta e nove box que seriam vendidos para quem quisesse adquiri-los”.

Entretanto, no dia 5 de abril de 2019, após denúncia por mim feita aqui nesta casa legislativa, o presidente do consórcio disse que, palavras dele: “os 1800 (mil e oitocentos box estão garantidos, nós estamos fazendo uma pesquisa de mercado com o comerciante de Feira de Santana para saber quem quer vim e quem não quer vim, ou seja nós temos 30 (trinta) espaços âncoras que vão ser comercializados no comércio de Feira de Santana”. Quantas contradições vão precisar existir para que nós tomemos uma posição, já não basta a falta de transparência de todo este processo? Não estou aqui pedindo favor, estou aqui cumprindo os meus deveres funcionais, constitucionais, morais e fiscalizatórios, pois não podemos esquecer que há dinheiro público envolvido nisso, dinheiro do povo! Assim, nada mais que justificado, até mesmo porque é dever da administração pública dar transparência em todos os seus atos, por isto, estou aqui solicitando o apoio de vocês nesta luta contra a omissão desse processo.

Para deixar aqui mais claro, eu não estou aqui para brigar ou acusar ninguém, quero somente clareza nas informações. As acusações feitas pelo Sr. Elias à minha pessoa, as mesmas beiram ao ridículo, e vão de encontro a minha luta pelos camelôs, realmente, eu quis um aumento da quantidade de boxes no shopping popular para que o maior número de camelôs fossem beneficiados com o projeto, uma vez que são mais de 2500 camelôs que ocupam o centro da nossa cidade. Mas meu pedido, inclusive, já exposto por diversas vezes nesta Câmara, era para que se aumentassem o número de boxes, não para mim e sim para os camelôs! Contudo, esta acusação equivocada não me calará e nem me impedirá de seguir com os meus princípios e luta junto aos camelôs de Feira de Santana, mais do que isso, coloco e tudo mais que Vossas Excelências entenderem necessário para esclarecimento dos fatos, pois não tenho nada a temer, e sou do povo e para ele trabalharei. Obrigado!

VEJA TAMBÉM