Em atuação brilhante de Marinho, Vitória vira e deixa Z-4 – Assista vídeo dos melhores momentos
750_2016116201730229

Voz de Feira

Marinho foi autor de dois gols e deu passe para outro - Foto: Margarida Neide / Ag. A TARDE
Marinho foi autor de dois gols e deu passe para outro

Em jogo emocionante na tarde deste domingo, 6, no Barradão, o Vitória saiu na frente diante do Atlético-PR, sofreu a virada ainda no 1º tempo, mas conseguiu ‘desvirar’ na etapa final para 3 a 2. Com os três pontos, o Leão voltou a vencer após cinco partidas e deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

O Vitória saiu na frente do placar logo aos 4 minutos de jogo, com Marinho. Pablo, em duas falhas dos laterais rubro-negros – a primeira de Diego Renan e a segunda de Euller – conseguiu virar o placar para o Furacão ainda no 1º tempo, aos 29 e aos 42 minutos.

Para o Rubro-Negro, no intervalo, a derrota significava praticamente o adeus às chances de disputar a Série A no ano que vem. Na etapa final, porém, a postura da equipe foi outra, e Marinho apareceu para mudar o rumo da partida.

Foi dele a jogada que resultou no gol de empate, marcado por David, aos 23 minutos do 2º tempo. Depois, foi o camisa 7 também quem, numa jogada individual, arrancou para marcar o gol da virada, já aos 36 minutos da etapa final.

Com os três pontos, o Vitória chegou a 39 pontos, uma a mais que o Internacional, 17º na tabela, que perdeu para o Palmeiras neste domingo por 1 a 0. O Leão terá que manter a posição favorável na quinta-feira, 17, contra o Santos, na Vila Belmiro

O jogo

O começo do jogo foi de puro deleite para o torcedor. Aos quatro minutos, Marinho dominou a bola na esquerda, cortou para o meio e chutou; a bola explodiu na zaga, mas ele insistiu e chutou no canto direito, abrindo o placar.

Tinha tudo para ser um jogo fácil a partir dali, mas o Vitória, uma vez à frente do placar e com 86 minutos para administrá-lo, entrou em nítida paranoia. Ninguém no time parecia se entender, sobretudo na defesa.

Aos 29, Diego Renan vacilou na marcação e Lucas Fernandes foi lançado nas suas costas, pela direita; o meia invadiu a área e tocou para Pablo, sozinho – já que Victor Ramos o havia abandonado – completar para o gol e empatar.

Se o vacilo num lance foi do lateral direito, minutos depois foi a vez de Euller falhar feio. Aos 42, o ala esquerdo saiu jogando errado, e deu a bola de graça para Lucho González; o argentino avançou e tocou para Pablo, de frente para Fernando Miguel, marcar de cobertura e virar o placar.

Virada na raça

O comandante mudou o time para a etapa final. Tirou Euller, perseguido pela torcida, e Flávio, inoperante. O Vitória melhorou, mas a cartada final veio com a entrada de David no lugar de Zé Love, outro vaiado pela torcida, aos 22 minutos.

No minuto seguinte à sua entrada, o garoto roubou a bola no meio-campo e tocou para José Welison; o volante lançou Marinho na ponta, que entortou a marcação e cruzou forte justamente para David, que apareceu na área para empatar.

O empate, porém, não era o suficiente para tirar o Leão da zona. Era preciso mais um gol e, felizmente, o Vitória tinha um certo camisa 7 em campo. Aos 36 minutos, ele aprontou. Após um chutão, Marinho recebeu a bola no meio-campo, dividiu com o marcador e ficou com ela; avançou até a área, onde deixou um marcador no chão e chutou tirando de Weverton. Um golaço.

VEJA TAMBÉM